Crescimento da Igreja no seu email:

FeedBurner

O Papa Define a Igreja

terça-feira, julho 10, 2007

Segundo divulgou a Reuters, o Vaticano divulgou nesta terça-feira (10) um documento datado de 29 de junho último que aponta a Igreja Católica como a única a reunir todos os requisitos da comunidade fundada originalmente por Cristo e seus apóstolos.

Assim como o "Dominus Iesus", o novo texto também é obra da Congregação para a Doutrina da Fé, a antiga casa do atual Papa no Vaticano e o órgão responsável pela pureza teológica do catolicismo. As perguntas e respostas são assinadas pelo atual prefeito da congregação, o cardeal americano William Levada, e por seu secretário, monsenhor Angelo Amato, e chegam com a aprovação oficial de Bento XVI.

"Segundo a doutrina católica, tais comunidades não têm a sucessão apostólica no sacramento da Ordem e, por isso, estão privadas de um elemento essencial constitutivo da Igreja", diz o documento.


O novo texto tem dois significados:
Em primeiro lugar, que a guerra de Bento XVI contra o relativismo continua firme.
Em segundo lugar, reafirma-se a idéia de que o catolicismo é o único meio pelo qual se pode alcançar a salvação espiritual com a ajuda da fé em Jesus Cristo.

A explicação vem da idéia de "deficiência" ou "defeito" expressa pelo documento "Dominus Iesus". A doutrina defendida por Bento XVI considera que os não-católicos teriam mais dificuldade (uma "deficiência" mais branda no caso dos cristãos, mais pesada no dos não-cristãos) para a busca do bem e da verdade que leva à salvação do homem. No entanto, se eles seguirem o caminho correto apesar disso, eles seriam, na prática, "adotados" por Cristo e pela Igreja.

Resta saber se esse detalhe teológico será suficiente para evitar as reações entristecidas das igrejas protestantes, como as que se seguiram à publicação de "Dominus Iesus" no ano 2000.

2 comentários:

Ronaldo Jr. disse...

Bem, se conseguirmos olhar isso friamente deixando de lado a total falta de tato e arrogância de Hatzinger, ele falou algo que todos nós definimos também, pois no fim, toda ideologia religiosa tenta ser por si só absoluta, seja ela católica ou protestante.

Vinicius disse...

Resta saber o que é "o caminho correto". É o comportamento da velha e conhecida "igreja mãe", querendo ser mãe, mesmo que adotiva. Olha o ecumenismo aí!