Crescimento da Igreja no seu email:

FeedBurner

A Igreja em 2011

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Recentemente a Adventist Review publicou um artigo de Thom S. Rainer, autor de vários livros sobre o Crescimento da Igreja, entitulado A Igreja em 2011. A análise de Thom tem a ver com o envelhecimento da população e a importância da Igreja estar sensível a isso.

Em 1900, a expectativa de vida nos Estados Unidos era de 47 anos. No ano 2011, a estimativa é de que esse número esteja em torno de 80 anos. Naquele país, um fenômeno conhecido como "Baby Boom" ainda amplia essa realidade, já que um terço dos americanos vivendo hoje, nasceram entre 1946 e 1964.

A pergunta é: como a igreja responderá a esse cenário?

Alguns fatos curiosos:
  • Atualmente, dois terços dessas pessoas não vão à igreja mais do que duas vezes ao ano;
  • Muitos desse grupo estão se tornando nostálgicos;
  • Aparentemente, contrário à tendência geral, a receptividade desse grupo ao evangelho tem aumentado com o passar do tempo;
  • As pessoas desse grupo, no entanto, não se contentarão em simplesmente serem mais um na igreja; e,
  • Esse grupo estará cada vez mais interessado em aprofundar-se no estudo das verdades bíblicas.
A outra pergunta é: estamos prontos para atender essas pessoas?

No Brasil, a expectativa de vida também tem aumentado consideravelmente nos últimos anos e a igreja refletirá essa realidade. Freqüentemente, as igrejas tem se preocupado em ministrar para os jovens, mas raramente para os mais velhos.

Sem nos esquecermos das crianças, adolescentes e jovens, como podemos incluir os mais velhos e impactar a eternidade deles?


Leia o artigo na íntegra, aqui (em inglês).

1 comentários:

Alano disse...

Não imagino um mundo jovem sem o firme comando dos mais experientes.
Se o ser humano é tendencioso, imagine os jovens...
Eu penso q os jovens é realmente uma força em ação, mas não podemos negligenciar um evangelismo tão serio sem que a igreja esteja totalmente unida nesse mandado de Deus.
Precisamos ser melhores do que somos, juntamente com nossos irmãos mais velhos.
abraçus.